sexta-feira, 11 de março de 2011

Sobre o dia de hoje

A angústia devora meu peito,
Dilacera-me pedaços,
Estrangula-me o ego,
Corrompe-me a fé e
Questiona o tempo de Deus.

Fico pequena, impotente,
Irracional, revoltada,
Com uma íra crescente.

Aos poucos, consigo voltar a mim,
Racional, remeto-me ao arrependimento.

Debaixo da tristeza avassaladora que se apossa de mim,
Consigo chorar, questionar, sofrer...
Permito-me definhar diante das circunstâncias insolúveis.

Tomo minha fé nos braços e sigo a frente com ela...
Ainda que tudo dê errado, ainda que a íra seja crescente em alguns momentos,
Ainda que esses momentos sejam eternos e que as dúvidas aflorem selvagemente,
Tenho certeza do que creio. Arrependo-me, volto ao Caminho Verdadeiro carregando minhas angústias, certa de que um dia, tudo isso há de passar.

Um comentário:

нєllєи Cαяσliиє disse...

O importante é saber o que a gente crê sempre!
Lindo poema flor
bjus