sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Ontem pensei sobre o consumismo, sobre o comércio, sobre a mídia e sobre a cultura!

É incrivel como tudo se entrelaça mesmo que não tenha nada a ver uma coisa com a outra. 

Cultura, social/antropologicamente falando, é todo costume de um povo. 
Cultura, popularmente falando, consiste no conhecimento erudito, em literatura, arte e música. 

A mídia comercializa a cultura antropológica, ainda que a maioria não saiba do que se trata a antropologia e a sociologia. A mídia induz ao consumismo desenfreaaaado! vende ilusões, padrões de moda, de beleza, de conforte e bem estar. A mídia manipula as massas, estipula padrões de comportamento e normatiza a felicidade. 


Enquanto isso, a cultura do senso comum, permanece desvalorizada. 
O poder de questionamento, que deveria ser estimulado, vai ficando de lado, jogado pra escanteio, apenas os gandulas que não aparecem no jogo conseguem alcançá-las, porque o que está em campo é a mídia manipuladora de bonecos iguais, mecânicos, e verdadeiras marionetes. 

A cultura do senso comum só tem a perder. 
Os cinemas estão virando igrejas. 
As igrejas nem ao menos cumprem seus papéis sociais, muito menos espirituais. 
Os filmes exibem pornografia explícita e gratuita, além de violência e assassinatos frios. 
Os teatros perderam o foco, deixaram a criatividade e atuam com todos os recursos que tiram a graça de um bom espetáculo. 
O incentivo a leitura é tão pequeno, que os adolescentes não conseguem compreender a liguagem de Machado de Assis - e se não fosse ao Sítio do Pica-Pau-Amarelo, acho que também não compreenderiam Monteiro Lobato. 

Por fim, tudo virou comércio: Tv, teatro, igreja, literatura... e não tem jeito, senso comum ou ciência,  TUDO É CULTURA!


Lauraine Santos.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Inspiração

Inspiração não me falta... O que sobra é preguiça!!

Preguiça de levantar, pegar o papel, a caneta e escrever. Ligar o pc e digitar então, são opções fora de cogitação!

Quero escrever sobre a política, sobre religião, sobre a politicagem religiosa... sobre a educação decadende que se desenvolve de maneira plena e deprimente.

Quero escreer, quero falar, publicar para quem quiser ler e puder compreender a gravidade da coisa, dessa coisa que chamamos de vida.


No entanto, agora, estou com sono. São oito e vinte da manhã, não sou ninguém nesse horário... Só serviu pra eu pintar as unhas, e não posso voltar a dormir pra não borrar - é o meu momento "mulherzinha", não posso desperdiçá-lo.

Lauraine Santos.