quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A sociedade imutável

As senzalas continuam aí, só mudaram de nome. Hoje em dia chamam-se favelas!

Os negros escravizados, hoje são multiraciais, assalariados, valendo menos do que a liberdade merece valer.

Os marginais da atual sociedade, são na verdade, vítimas.

Os marginais ricos são vítimas da falta de tempo, do tempo que seus pais não lhe dedicaram dando educação, porque estavam ocupados demais em ganhar dinheiro.

Os marginais pobres são vítimas da miséria, da barriga que insiste em roncar quando não tem farinha nem água para alimentar.

E eu, você, e muitos outros, estamos sentados, idealizando uma sociedade mais justa, enquanto o mundo acontece lá fora. denunciar não é mais suficiente, precisamos agir, inteirar-se de verdade na sociedade, não como meros agentes passivos... precisamos agir!

Mudar realidades, mudar pensamentos, mentalidades... Isso, é o que eu posso tentar fazer, e você, o que pode tentar fazer para deixar de se ser esse escravo assalariado da atualidade?


Lauraine Santos.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Tentando me suportar

Passei o dia inteiro tentando me suportar.

Está praticamente impossível... Não sei como alguém consegue me aturar!

Eu só penso, penso, penso e penso, mas nunca chego a nenhuma conclusão! não encontro respostas, e cada pergunta me leva a outra incógnita, mistérios sem respostas,reação sem ação... Motivos indispostos no cardápio da explicação.

Encontro na fé uma razão pra querer confiar que tudo vai dar certo ainda que eu jamais encontre as respostas para o que questiono, e mesmo assim, ter e tentar ter mais fé não é suficiente.

Eu estou tentando, juro que estou... Em parte, devo estar conseguindo, se não, a vaca já teria ido pro brejo há muito tempo! Aliás, pro brejo ela já foi, mas por enquanto, penso que sei em que brejo encontrá-la... O importante é não perdê-la de vista.

*Ainda bem que apesar de estar insuportável, essa vaca não sou eu!!!


Lauraine Santos.

domingo, 17 de outubro de 2010

Cobertos de ouro.

Não parece contraditório?

Os mineiros chilenos estavam literalmente cobertos, "enterrados" em puro ouro bruto, e ainda assim, desesperados pra sair de lá.

Pra mim, é um paradoxo. Porque apesar de toda preciosidade ali contida, não era o necessário para a sobrevivência. Tudo o que precisamos é de : água, comida, temperatura agradável e saneamento básico. No entanto, o que os salvou dali, foi basicamente a esperança de ser resgatado, poder rever a família, os amigos, a luz do dia... Tanto ouro e cobre não era o necessário para a sobrevivência...

É incrível como o homem se perde por tão pouco e nem mesmo quando vê acontecer uma tragédia dessas, consegue refletir que a vida é muito mais do que estar coberto de ouro e bronze.

Pra mim, é um paradoxo cruel.
Acredito que seja o mal de todo homem que se afunda em ouro.
O caso dos mineiros chilenos foi literal, literalmente presos abaixo da terra, junto com o ouro, mas a minha preocupação, são os homens que se afundam na ganância pelo dinheiro e que nem se dão conta de que precisam ser resgatados, de que precisam voltar a ver a luz do dia, de que precisam reconhecer que a vida vale muito mais do que se pode comprar...

A minha preocupação é com os que já perderam a esperança de voltar a viver porque se acostumaram com o calor, com a fome, com a umidade, e com o breu que cultivaram em suas cavernas, porque estão morrendo sem perceber que precisam ser resgatados...

Enfim, que nos sirva de lição, pra compreendermos que nem ouro compensa quando o assunto é viver.


Conclusão: estar enterrado no ouro não é tudo!!

Lauraine Santos.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Criança, adolescente, adulta: quem eu sou? Onde estou?

Quando eu era criança, sabia que era criança, mas queria ser adulta.
Em adolescente, tinha certeza de que era adulta.
Agora, não sei o que sou.
Mas acho que sou um jovem adulta!

Hoje, não quero ser adulta. É pesado demais... muitas responsabilidades que me tirariam (tiram o conforto).
Não quero ser criança. Tenho vontades próprias, não quero ninguém mandando em mim sem que eu possa recusar obedecer a ordem.
Não quero ser adolescente, e ser criança demais para fazer o que quero e adulta demais pra cumprir com minhas obrigações.
Não sei o que quero, mas espero uma hora descobrir quem eu sou e em que estágio da vida estou.

Lauraine Santos.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Sobre os meus amigos

Tenho amigos incríveis.

A noite passada, antes de dormir, estive pensando neles ( e ri muito - alto - sozinha!).

Vejamos, um deles, comprou um terreno num lugar chamado "Lagoa Verde", contraditoriamente, o lugar não tem nem lagoa, nem água; pode parecer mentira, mas a caixa dágua dele é abastecida com água da chuva... ele não perdia a oportunidade de tomar banho no serviço, carregava até sabonete na maleta. *Kid*

Outra amiga, sentou num banquinho de cimento pra namorar, próximo a BR101, não sabe-se como, a roda do caminhão soltou, quebrou o banco e lá ficou estirada a pobrezinha no chão, esperando o SAMU... Sobreviveu, mas ficou toda ralada por longas datas. (A esta chamos de: fugitiva da roda). *Patty*

Uma terceira, após perder o terceiro ano do ensino médio por suspeita de tuberculose, (duas desgraças numa só: perder o ano e suspeitar de tuberculose), comprou uma moto - sem carteira e sem documento), em pouco tempo, conseguiu bater de frente com outra moto guiada por um bêbado - foi trágico, mas ela sobreviveu pra depois bater num carro parado - enquanto estava apenas saindo com a moto - por fim, na semana passada, depois de algumas semanas sem termos contato, ela me contou que estava internada porque teve herpes zoster. Não sei o que é, mas descobri que essa amiga é contagiante em tudo, desde o bom humor, até suas doenças... *Carlinha*


Parei para jantar e termino amanhã.



sábado, 9 de outubro de 2010

Já estamos no meio do oceano... acha q vou querer pular do barco?

sexta-feira, 1 de outubro de 2010