quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Meu não

Talvez consiga te encarar quando eu amadurecer.
Por enquanto, até tento fingir que não te vi, mas não consigo disfarçar;
Tento fingir que estou sendo indiferente, mas acabo exagerando na dose e deixando claro o quanto quero que você me perceba passeando pela calçada.

Eu planejo o que fazer, mas na hora, sai tudo errado! Não consigo disfarçar, não consigo esconder o quanto ainda sofro por essa frustração. Quero não mais alimentar esse sentimento que você me desperta, só que é involuntário. Quando percebo, já estou novamente pensando no que dizer, no como olhar, em como me comportar...

Te vejo por alguns segundos, desvio o olhar. Evito reações. A falta de reação demonstra o quanto quero não reagir. Você é indiferente, aliás, também finge não ter me visto, porque realmente não quer me ver... é indiferente pra você a minha presença.

E esse pequeno episódio é suficiente para me fazer pensar e repensar o que fazer pra te chamar atenção. Fico confusa. Uma hora, insisto em fazer algo pra te chamar a atenção; no momento seguinte, me convenço de que devo te esquecer; sem me dar conta, penso em como agir naturalmente perto de você, ou seja, o tempo todo estou criando estratégias ao seu redor.

Não quero mais isso.
Não quero mais você.
Não quero mais te querer.
Não quero te esquecer.
Não quero mais não te ter.
Não quero continuar com esse NÃO gritando o tamanho da minha covardia.

Quero apenas meu eu de volta - antes de te conhecer.


Lauraine Santos

Um comentário:

Lucy Britto disse...

Adoro escrever mas não tenho o dom como vc , parabéns
Seja muito bem vinda em meu espaço tbm
http://percapeso-ganhefelicidade.blogspot.com/
bjinhos...