domingo, 25 de abril de 2010

Trechos das minhas cartas!

É essa mistura de sonho e pesadelo que me confunde. Essa realidade que parece sonho, esse sonho que a cada segundo quer tornar-se pesadelo.... Esse meu querer que cresce sempre, e é quase incontrolável, enquanto eu não consigo definir se arrisco te ter por alguns segundos, ou se vou desde já me dando por vencida, e me acostumando a viver sem você; vou me acostumando com o dia que não mais te terei, e vou antecipando o meu sofrimento que é mais certo do que o meu sorrir por tê-lo.

E a dor, a agonia, o amor e a lágrima fazem parte do meu corrosivo sofrer, e todo dom é quase inútil por não poder tê-lo tanto o quanto o desejo. Mas de qualquer forma, obrigada por você ter existido na minha vida; você foi tudo e mais um pouco, que fez eu me perder de mim quando se foi, e nunca mais voltou... Você ainda faz as palavras perderem os valores reais. (01/03/04)

Não quero perder nada

Existem tantas coisas que eu gostaria de te dizer, e tantos momentos que eu gostaria de recordar, tudo o que eu queria era te rever, mas o seu brilho parece sempre me cegar. Só não consigo te ver, mesmo querendo te ter, prefiro não correr o risco de te perder; não quero perder mais nada, não quero perder você, e prefiro me cegar com o teu olhar me condenando, do que ter que me fingir de viva diante da tua total ignorância à minha presença, mas não quero perder mais nada. Mais nada... nem você!

Na primeira vez não te tive, na segunda te perdi, e na terceira, nunca mais te encontrei, desde então, vivo cada dia o seu mal, como se tudo fosse último a cada segundo. Penso no quanto errei em ter te machucado, não consigo me perdoar por tê-lo feito sofrer. A tua ferida ainda me dói, e ainda é do teu olhar que eu não consigo me libertar... ainda é o teu sorriso que me faz feliz. Eu nunca te quis mal, apenas não sabia o que queria, aliás, não sabia o que querer para mim, mas sempre desejei-te o bem. Desculpe-me por ter sentido medo de ser feliz ao teu lado, eu só não queria te fazer sofrer... e foi que eu acabei fazendo. Causei-lhe o mal que jamais desejei a ninguém: te fiz sofrer por me amar. Jamais imaginei que eu fosse tão medrosa, e por causa do meu medo, agora mais do que nunca, temo, é em não encontrar a felicidade longe de você. Parabéns! Você continua sendo o homem perfeito.(18/02/04)

Destinos

Acho que os nossos destinos estão mesmo traçados, Acho que nascemos um para o outro, e não há como mudar isso... E quando eu chego a pensar que me conformei em ter que viver sem você, percebo que a vida sem você é impossível, e o destino me mostra que não adianta fugir, porque eu e você ainda seremos um. O nosso futuro está pronto, basta esperarmos ele chegar. O nosso amor não é tão impossível assim... é pior um pouco....(25/03/02).

Tudo é muito pessoal e quase discreto!

BESTERIT`S

E aí ?

Qual é a boa?

“E de onde menos se espera, dali mesmo que não sai nada....”

Choro de amor

22-03-04 = ... E em meio a tantos sentimentos, já nem sei mais o que pensar, em um momento me sinto o máximo por sua causa, e um momento depois, você faz sentir-me o mínimo. É estranho saber que um desejo se constrói, e no momento seguinte, não mais existe. Não é possível que não tenha significado nada para você... estávamos tão sintonizados, e, ..., você sempre foi tão carinhoso, mas... acho que quero mais que o teu carinho. Fico bolada, e não entendo mais nada; não sei porque foi acontecer justo agora, já que convivemos por tanto tempo e nada aconteceu; não que eu não tenha gostado, de forma alguma, já que isso é algo que desde que convivíamos eu queria (muito) ... mas..., ainda não é só isso que eu quero, eu quero mais de você.

Eu não sabia que mexeria tanto comigo te reencontrar, aliás, eu sempre soube a alegria que me dava te ver, mas jamais pensei que poderia te tocar, e não imaginei o quanto poderia ser indescritível te sentir de perto; Fiquei bolada, afinal, somos amigos, mas pra mim você nunca vai ser só um amigo... Você vai ser sempre o amigo que eu gostaria de ter aos sábados, domingos e feriados... o amigo que eu gostaria de poder cuidar, que eu gostaria de poder provar todos os dias... é, você é o amigo que me fez bolar... você é o amigo por quem estou apaixonada, mas não posso te dizer isso... seria o meu fim, ter que declarar o meu amor ao amigo que muito pouco lembra de mim. Um amigo como você é o que eu quero... espero que não tenha sido tão insignificante pra você... espero que eu, não tenha sido insignificante pra você... espero que todo aquele desejo não tenha virado pó, cimento ou areia, espero que nada do que se passou atrapalhe o nosso relacionamento, principalmente agora, que eu infelizmente, te amo....

... minha lua

(26-03-2004)//: E de hoje em diante, nada mais será o mesmo... todos os dias penso isso, e me engano querendo não pensar em você. E de todo o mundo, nenhum espaço me contém, estou espremida em meio a tanto querer, em meio a tanto espaço vazio... em meio a tantos momentos, apenas você parece me prender e me fascinar, por um motivo cujo qual eu mesma desconheço. Quer me prender em teus olhos, pelo simples prazer de me aprisionar... Quer me fazer feliz do seu jeito... do seu jeito irresponsável, do seu jeito louco... e como sempre, é como se fosse a última vez. É essa falta de estabilização que me incomoda, apesar de eu muito te amar.... Espero que esse doente sentimento não me corroa, mas te comova, e te traga pra mim... porque mesmo apesar do seu jeito irresponsável de ser, eu te amo demais........... 27-03-2004 = é, você parece realmente não se importar comigo, mas não tem problema, eu continuo te adorando pelo que você é...

***

Por que você fica fazendo-me sentir uma criança?

Não entendo, e já que você é tão metido a inteligente, será que pode me explicar, ou vai preferir calar e manter a minha agonia diante da tua presença?

Eu só quero saber se você faz de propósito ou se é sem querer, se for a segunda opção, tudo bem! Mesmo sem compreender, me conformarei com a resposta, mas se for a primeira, eu só quero saber “por quê?”

Não gosto de me sentir assim... não gosto de ficar sem ação, nem menos gosto de me sentir infantil, mas é assim que me sinto perto de você: me sinto uma criança enciumada que parece não querer crescer. Sua presença me deixa instável, e... por que você faz isso? Se faz isso de propósito, como faz, e faz por quê? Quais são os seus objetivos? Eu já perdi o rumo nos seus olhos, e não quero me confessar ....... é por isso que me sinto uma criança, esperando seu melhor amiguinho para brincar................

Esse seu jeito me deixa meio estonteada, e não gosto de me sentir fora de mim, não gosto de perder a consciência, mas é assim que você me deixa, talvez seja sem querer, mas se não for: pare de brincar comigo.....

Você me causa um incômodo confortavelmente desconfortável, quase sou capaz de querer viver o que sem querer acabo pensando e você está sempre nos meus pensamentos, me incomodando, agoniando e desestabilisando... me tornando o ser infantil que eu tanto fujo de ser.....

nem sei por onde começar a explicar, já que também ainda não consegui entender, bom, deixe-me procurar bem as palavras para não ter que me retificar depois. EH.... já que você mesmo disse que entende tanto sobre relacionamentos, e sobre o ser humano mesmo, pensei que poderia me ajudar; imagino que eu só precise mesmo é saber o que está acontecendo. Tenho sentido medo de continuar existindo, não é medo da vida, é medo do que tenho sentido em relação ao mundo que me cerca. Confesso que sempre fui um pouco depressiva, mas de vez em quando minhas fraquezas vem à tona, e não tenho conseguido reagir diante de alguns sentimentos profundamente agonizantes que tem me cercado ultimamente.

Estou passando por uma situação parecida com uma que já vivi, e que achei ter aprendido a lhe dar, mas agora, que estou de frente com esse mesmo “problema”, sei o que fazer, mas não tenho “coragem”; aliás, nesse caso, não há muito o que fazer, algumas coisas eu ainda tenho arriscado, mas tem sido difícil reagir de forma coerente, devido ao fato de ao invés de sentir-me forte, acabo agindo como uma criança, e essa infantilidade tem me incomodado muito . Não é nenhuma situação “nova” por assim dizer, mas continuo reagindo como da primeira vez, em todos os sentidos, e fico desnorteada, por ver que mais uma vez estou sendo vencida por um mesquinho sentimento. O que mais me aborrece, é não conseguir tomar a postura que a situação exige

*já que você mesmo disse que entende tanto sobre relacionamentos, e sobre o ser humano, pensei que poderia me ajudar;

*não tenho conseguido reagir diante de alguns sentimentos profundamente agonizantes que tem me cercado ultimamente.

* tem sido difícil reagir de forma coerente, devido ao fato de ao invés de sentir-me forte, ajo como uma criança, e essa infantilidade tem me incomodado muito .

*Não é nenhuma situação “nova”, mas continuo reagindo como da primeira vez, em todos os sentidos, e fico desnorteada, por ver que mais uma vez estou sendo vencida por um mesquinho sentimento...

O que mais me aborrece, é não conseguir tomar a postura que a situação exige... porque nessa hora... me sinto uma criança quase sem condições de existir

Estou precisando de você pelo seguinte: tenho tido fortes, profundos e agonizantes sentimentos, com os quais eu nunca soube lhe dar; Toda vez que tenho que passar por “tal” situação, fico assim, mas não consigo reagir, e ao invés disso, me sinto uma criança sem condições de existir. Me comporto sempre como uma criança que não quer crescer, e isso é o que mais me aborrece: saber que estou sendo vencida novamente por um mesquinho sentimento, e fico desnorteada............


Por que você faz-me sentir uma criança? Não gosto de ficar assim, meu mundo fica tão pequeno, e eu fico tão.... nem sei !!! Se você puder, me explique por quê isso aconteceu.... é estranho, ... mas é verdade, estou me sentindo uma criança, e nem sei por quê! A culpa é sua! Brincadeira, mas, já que você entende sobre relacionamentos, Talvez você compreenda até o que eu não posso explicar....



Rio Bonito, 06 de maio de 2004.

PALAVRAS

Posso encontrar palavras bonitas, mas o que procuro são palavras de profundo significado, que expressem parte das minhas emoções; mas o parto dessas palavras é sempre tão dolorido que não há palavras que descrevam o seu próprio sentido.

Em cada palavra emotiva que nasce, uma dor diferente surge e desaparece no mesmo instante em que se expressa.... Talvez não haja sentido em palavras tão profundas, filhas de um parto gerado pela dor; porém, expor minhas feridas é o que mais me interessa, tendo estas motivo para existir ou não.



/// Golpe errado ///

Estou mesmo com ciúmes, e daí? O que poso fazer, se te esquecer não é tão fácil o quanto parece? Bem que eu queria, mas infelizmente não é! Sei que errei em te escolher para ser meu rival, reconheço que foi prepotência achar que podia te ganhar, sem ao menos conhecer suas estratégias nesse jogo, mas agora, já foi, não tem mais volta! Você me chama de criança, me diz que somos amigos, me traz sem saber se estamos jogando, ou se é apenas impressão minha, e por fim, me ganha sem nem dizer se estamos ou não jogando. Concluindo: o que era apenas uma brincadeira, vira realidade, e o que não existia, agora existe e ganha intensidade; alguém a quem eu ignorava, faz parte da minha vida e domina por completo meus pensamentos, por isso me culpo.

Odiei ter dado a você a oportunidade de se fazer conhecer por mim ... odeio todos os seus truques de silêncio; odeio esse seu jeito de ... “puta barata”, que sorri me convidando a fazer parte do seu corpo, odeio essa sua forma de me agradar, fazendo-me sentir exclusiva em meio a tantos dos seus compromissos, e ... realmente, você me confunde! Assim eu quase penso que te amo...

Confesso que dei o golpe errado, não pretendia me apaixonar, pelo menos, não por você. O que fazer, realmente não sei, mas só aceitei deixar você entrar na minha vida, porque achei que seria capaz de te mostrar ter percebido o seu jogo, achei que teria condições de te vencer, porém, nenhuma dessas “achologias” me deram certeza de nada, só fizeram-me aproximar de você a toa, me aproximar de você para pensar estar te amando, para fazer crescer em mim um sentimento esquecido e quase morto, para me fazer morder a língua e ter que confessar o que eu nunca poderia imaginar. Porém, o que você quer que eu faça? Mate-me? Não tenho culpa de ter-me apaixonado pelo inimigo, errei na estratégia; com a intenção de te vencer, me aproximei demais e gostei do que conheci. Caí no seu jogo, não te mostrei o que queria, nem te venci.

Aproximei-me com a intenção de encerrar esse jogo, e de ganhar, mas deu tudo errado, você me conquistou e ganhou. Me trata como criança, ignorando toda a minha realidade, essa que eu também não posso te confessar, e para chegar ao fim de uma carta que expressa um jogo que nem sei se existiu, e que se existiu, eu entrei e perdi ... e... te entrego a frase final, como medalha do seu bom desempenho: você me conquistou! Acho que não é preciso dizer mais nada ...

Lauraine Santos.

10/08/2004

3ª feira

22hrs: 20 min.

Nenhum comentário: