sábado, 5 de dezembro de 2009

05.12.2009

O dia que eu souber quem sou,
deixo de existir,
deixo de ser!

Estranho seria se fosse diferente.
Estranho seria se não fosse.
Estranho é a estranheza que me causa existir.

Estranha sou eu.
Estranho é a madrugada adentrar meu sono sem meu sono perturbar a madrugada.

Estranho é a vida que existe de dia enquanto eu durmo,
E que dorme de noite quando eu quero viver.
Estranha sou eu, querendo viver contrária ao dia associando-me à noite, distanciando-me dos meus sonhos reais.

Estranha sou eu sem ser.
Estranha sou eu em mim...

Lauraine Santos.